Construir uma boa rede de relacionamentos pode ser grande passo na conquista do emprego

Todo mundo na vida já ouviu falar que, para se ter um bom emprego, é importante ter QI, de “Quem Indicou”. No universo do Recursos Humanos, essa expressão é conhecida por uma palavrinha americana: networking, que nada mais é do que ter uma rede de contatos que permita estabelecer uma relação puramente profissional e da qual se possa obter frutos.

Todo mundo na vida já ouviu falar que, para se ter um bom emprego, é importante ter QI, de “Quem Indicou”. No universo do Recursos Humanos, essa expressão é conhecida por uma palavrinha americana: networking, que nada mais é do que ter uma rede de contatos que permita estabelecer uma relação puramente profissional e da qual se possa obter frutos.

 

Com o mercado de trabalho cada vez mais acirrado, ter um bom networking é mais do que necessário. “Quanto mais saturada for a profissão, mais os contatos serão importantes. Por exemplo, nas carreiras de Direito e Jornalismo, praticamente todas as vagas são preenchidas por indicação direta, já que o número de formandos é muito maior do que o número de vagas”, explica Max Geringher, consultor e comentarista da Rádio CBN, além de colunista do programa “Fantástico”, da TV Globo.

 

Pode parecer injusto, mas, segundo Geringher, em uma entrevista de trabalho leva mais vantagem o candidato que conhece quem possa abrir a porta do local de trabalho para ele, do que aquele que mandou um bom currículo, mas não conhece ninguém que possa ajudá-lo. “São os contatos que garantem a possibilidade de uma boa entrevista. Mas, se os dois candidatos (um que tenha um bom contato e outro que não) chegarem à entrevista, aí o melhor currículo se transformará numa grande vantagem”, frisa.

 

O começo

Mas como aquela pessoa que está entrando no mercado de trabalho pode montar uma boa rede de contatos? O próprio banco da universidade, segundo Geringher, é um bom começo, ou antes disso. “Eu consegui meu primeiro emprego através da indicação de uma pessoa que conheci quando cursava o segundo grau”, lembra o consultor.

 

Por isso, ser bom aluno e ganhar a simpatia dos professores, “que geralmente são pessoas bem relacionadas”, fazer cursos de curta duração, “dos quais participem profissionais de Recursos Humanos, também é um caminho precioso”, aconselha.

 

No entanto, não é por que se tem um bom contato que se deve abandonar os estudos e deixar de incrementar o currículo, de acordo com o consultor. "Estudar e se aperfeiçoar é importante, sempre", alerta.

 

Dicas

O que não é networking

 

- Networking não é amizade, é uma relação puramente profissional

 

- Encher a caixa de e-mails de pessoas importantes que você descobriu as posições dentro de uma empresa, com as quais não existe nenhum tipo de relação, além de não ser networking, é extremamente deselegante.

 

O que é networking

 

- É conhecimento mútuo e pode ser iniciado por colegas de escola. “Um aluno cujo pai é diretor de uma empresa pode estabelecer um contato vital", afirma Geringher.

 

- Construir um networking leva tempo. Não se deve conhecer a pessoa e já ir entregando o currículo, pois isso soa inconveniente. É preciso, antes de tudo, ter paciência.

 

Responda ao nosso questionário sobre salário e condições de trabalho.

Share |