Pisos salariais têm aumento real em 2012

Em 2012, cerca de 98% das unidades de negociação analisadas pelo DIEESE mostraram aumento real dos pisos salariais, em comparação com o INPC - IBGE (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Quanto aos valores observados, quase 7% dos pisos eram iguais a R$ 622,00, o mesmo do salário mínimo vigente em 2012, 25% eram de até R$ 664,50 e metade, até R$ 729,70. O valor médio dos pisos analisados foi de R$ 802,89. Análise por setor da economia e região.

Em 2012, cerca de 98% das unidades de negociação analisadas pelo DIEESE mostraram aumento real dos pisos salariais, em comparação com o INPC - IBGE (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Quanto aos valores observados, quase 7% dos pisos eram iguais a R$ 622,00, o mesmo valor do salário mínimo vigente em 2012, 25% eram de até R$ 664,50 e metade, até R$ 729,70. O valor médio dos pisos analisados foi de R$ 802,89.

 

Foram avaliados os pisos salariais que apareciam em acordos e convenções coletivas

de 696 unidades de negociação de todo o território nacional, que contemplam os

trabalhadores da esfera privada e de empresas estatais nos setores da indústria, do comércio, dos serviços e rural.

 

No painel, 17 pisos salariais eram de funções que exigiam formação universitária, e 679, daquelas que não a exigiam. No geral, os pisos para cargos de formação universitária são superiores aos de outras funções: o valor médio do primeiro grupo é 115% maior que a média dos pisos do segundo.

 

O maior piso foi verificado nos serviços (R$ 3.150), depois na Indústria (R$ 1.856,23) e no comércio (R$ 1.371).

loading...